Como viajar com o dólar nas alturas?

Quem tem uma viagem programada para o exterior deve estar arrepiado ao ver as notícias sobre o avanço do dólar, dia a dia a moeda americana tem subido e está prestes a bater o record do valor máximo cotado em 2002 (R$ 3,99).
Além do papel, é possível levar os dólares em cartão ou usar o cartão de crédito ou de débito. Mas qual a melhor opção?

Quem leva dinheiro vivo tem a vantagem de pagar IOF menor na compra. As desvantagens são o risco de perda ou roubo das cédulas e o limite para entrada em outros países.
No cartão pré-pago, as vantagens são: pagar a cotação no dia da compra da moeda e um melhor planejamento dos gastos. Mas por outro lado tem IOF e tarifa para saques.
O cartão de débito tem as mesmas desvantagens do cartão pré-pago. Pode ser vantajoso porque é cobrada a cotação no dia do saque e não tem taxas para compras.
Quem opta pelo uso do cartão de crédito tem como vantagens um prazo para pagar os gastos usando o limite de crédito, e também é possível acumular milhas. As desvantagens são o IOF e a oscilação do câmbio, já que a maioria dos bancos cobra a cotação da data de vencimento da fatura.
Quem já tem a passagem na mão, mas ainda não fechou o hotel, uma dica: fazer o pagamento da hospedagem de forma antecipada pode ser vantajoso. Além de tarifas mais baixas, em alguns sites ou agências de viagem você consegue pagar em reais e até parcelar.
E quem já tem os dólares na mão uma opção é fazer a reserva e pagar a estadia somente na chegada ao hotel, na hora do check in. Para decidir, vale a pena comparar a tarifa cobrada pelo hotel em ambos os casos.
Em tempos de dólar mais alto, pode ser interessante economizar um pouco na hospedagem para não deixar de fazer passeios e conhecer restaurantes típicos do destino.

Planeje bem seus deslocamentos
Alugar um carro não é uma boa opção em todas as cidades, mas também nem sempre comprar aquele bilhete de múltiplas viagens do metrô vai te fazer economizar. "Vale muito a pena fazer contas. Não compre de olho fechado, porque muitas vezes você não vai precisar pegar metrô, pois pode caminhar.

Pense bem nas refeições
Outra economia com comida que vale tanto para os EUA quanto para qualquer destino é comprar produtos em supermercados e cozinhar onde se está hospedado. Para quem fica em hostel ou aluga apartamento, é uma boa opção.
Dependendo da cidade em que estiver, fazer um piquenique em praças e parques também vale a pena.

Como e quando comprar os Dólares (ou Euros)
O maior erro do viajante que precisa de moeda estrangeira é deixar para a última hora, seja por descuido ou pela expectativa de conseguir um câmbio mais barato. É um erro pois dependerá muito mais da sorte, em épocas turbulentas como a que estamos vivendo agora, não podemos ter exatidão da cotação que teremos daqui uma semana por exemplo.
A menos que sua viagem já esteja pra acontecer, uma das estratégias é ir comprando aos poucos e fazer um preço médio até a sua viagem, desta forma você não "queima" todo seu capital em uma única cotação e pode aproveitar quem sabe momentos de baixa e economizar, se tudo der errado e o dólar continuar subindo, você perderá menos que comprar tudo na última hora.
Outra opção para combinar com o preço médio é definir um valor alvo que você considere que seja bom, por exemplo, agora em setembro/15 o dólar bateu R$ 3,95 então podemos considerar que R$ 3,75 no curto prazo seja uma ótima cotação! Desta forma, enquanto você estiver fazendo seu preço médio, caso o dólar chegue a próximo deste R$ 3,75 é uma boa hora de fazer uma compra.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentario